quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Ornithophora radicans e Ionopsis utricularioides

Minhas duas novas mudinhas!


Comprei para fazer um teste duas mudinhas no orquidário Imirim, chegaram no prazo certo (3 dias úteis), só não gostei muito de como vieram, não sei se é correto, não tenho experiência com mudas, mas espero de verdade que elas sobrevivam pois são minhas duas primeiras Mini orquídeas rs.


Ornithophora radicans

Esta chegou enroladinha em jornal, com a raíz tão sequinha mas já veio com lindas flores.


 Ionopsis utricularioides

Esta veio em um micro vasinho de plástico com sfagno, mas só chegou estas duas pequenas folhas e uma está bem sequinha, parece q vai morrer. =[


Quando chegaram eu não sabia o q fazer, sinceramente não coloquei fé que realmente chegariam. Preparei o substrato (casca de pinus, sfagno e pó de xaxim) fiz cortes em dois vasos de plástico q eu tinha para melhorar a drenagem da água e coloquei elas lá dentro, assim q eu puder vou comprar vasinhos de barro para transplantar elas, se sobreviverem né.

Tenho dúvidas com relação a estas espécies, quanto de luminosidade, de água q elas gostam, qual o melhor substrato para elas, quando posso aplicar fertilizante e fungicida nelas (agora estou precavida), qual o tipo de fertilizante e fungicida, enfim, todas as informações serão muito úteis.

Minha outra aquisição foi este livro "Léxico das orquídeas" espero que ele me ajude a criar minhas orquídeas. Se tiverem algum livro ou revista para indicar serei muito grata. O problema é que não tem estas espécies novas que comprei nele.


Em breve mando notícias das orquídeas que estão em tratamento.
Abraço e obrigada a todos que colaboraram.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Desespero total!!!

Não sei mais o q faço, trato com tanto amor e carinho minhas orquídeas e esse fungo está querendo matá-las! Me ajudem pelo amor de Deus!!!

Depois da última postagem eu fiz um chá de canela bem concentrado, limpei minhas orquídeas e borrifei em tudo, desde a raiz até ás flores, em todas elas, estando doentes ou não, cortei as flores e folhas mais atingidas mas duas folhas passaram despercebidas por mim, uma da Phaleanopsis e outra da Denphal., quando vi no dia seguinte não quis cortar pois elas iam ficar muito "peladas" achei q a falta de folhas prejudicaria a fotossíntese e comprometeria a sobrevivência delas, então borrifei novamente o chá de canela e ainda coloquei canela em pó exatamente em cima das manchas, fiz isso por mais 3 dias, hoje quando cheguei em casa e fui olhar o estado delas estavam piores. Vejam abaixo.

1 - Denphal amarela
Visão geral da planta, o pó marrom em cima das folhas é canela.

Mais de perto as manchas brancas, praticamente secando as folhas

 As folhas opostas também prejudicadas, dá para ver as folhas q cortei, ainda não cicatrizaram direito, tadinha da minha filha!

Se eu cortar estas 3 folhas doentes só restam 2 folhas, tenho medo de ela não sobreviver, nascerão folhas novas?


2 - Meu xodózinho foi o mais prejudicado, já cortei uma folha linda dela e acho q terei que cortar mais.



Se eu cortar as duas folhas mais prejudicadas só retará uma folha grande e duas pequenas, aquelas q ficam por baixo de todas as outras folhas. O que faço???


3 - Essa Denphal não foi tão prejudicada, não precisei cortar nenhuma de suas folhas da outra vez, mas acho q desta terei que cortar pelo menos uma.

Devo cortar esta folha com a mancha branca?



4 - Esta Denphal nao tinha sido prejudicada mas borrifei canela nela mesmo assim, agora está aparecendo algumas manchas suspeitas, preciso cortar as folhas ou só borrifar já basta?




5- Esta Cattleya foi a única q não foi atingida, até agora pelo menos! Borrifo fungicida nela mesmo assim?

6 - A Oncidium de início tinha sido a mais prejudicada, foi nela que tudo começou, as folhas estão suspeitas mas nada muito evidente. Na primeira limpeza cortei até alguns pseudobulbos q também estavam contaminados.


Este foi o resultado da primeira limpeza que fiz nelas, que dó q me deu de cortar estas folhas! Só de pensar em ter q fazer isso de novo, parece q estou amputando um membro meu! Mas se for necessário para salvar minhas plantas eu o farei!



Hoje, mais para o final da tarde, vou borrifar o fungicida que comprei já pronto, é uma mistura de óleo dimy e malation, essa é minha última esperança de salvar elas, agora uma dúvida está acabando comigo, não sei se corto as outras folhas atingidas ou não. Sinceramente estou morrendo de pena de cortar, acho q ela vai ficar muito prejudicada se eu cortar mas vou seguir o conselho de vcs, orquidófilos veteranos, o q acharem melhor eu faço, por isso peço encarecidamente a ajuda de todos.
Aí vão as perguntas:
1- Corto ou não as folhas atingidas? Olhem com carinho pois não quero comprometer a vida de minha linda orquídea.
2 - Devo borrifar nas raízes?
3 - Devo trocar o substrato de todas? (obs.: não tenho essa quantidade de substrato reserva, terei q comprar e então só poderei passar o fungicida amanhã ou depois)
4 - Devo escovar as folhas com uma escova de dentes de cerdas macias?
5 - Devo borrifar também nas folhas?
6 - Após borrifar devo colocá-las dentro de casa ou fora? (obs.: O tempo no RJ está chuvoso, e o telhado q protege elas é de alumínio, mas quando é chuva de vento molha tudo então chega respingos de chuva nelas também.
7 - Qual o procedimento mais adequado para aplicar o fungicida?
8 - Depois de solucionado os problemas, posso deixa-las no quintal? Tem problema ela pegar esses respingos de chuva?

Me ajudem gente, por favor, não quero perder minhas orquídeas de jeito nenhum, acho q entro em depressão se isso acontecer!

Bete, obrigada por toda ajuda que tem me dado, tem sido uma amigona! Espero um dia poder retribuir tudo isso!

obs.: Desculpem se eu confundir Denphal com Phaleanopsis, ainda não sei diferenciar uma da outra.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Mais preocupação!!!

Olha como minhas orquídeas estão ficando, estou muito chateada, me ajudem por favor.
Não encontrei em lugar nenhum sulfato de cobre para fazer a Calda Bordalesa, mas encontrei um produto que diz conter o sulfato de cobre e o cálcio q seria dado pelo Cal se eu fosse fazer a calda.
O produto se chama Calpik e vem dizendo ser um fertilizante mineral misto foliar. Tem 7% de cobre, 3% de cálcio e 3% de enxofre. Achei essas concentrações muito baixas para funcionar como fungicida, deve ter apenas efeito fertilizante mesmo.

Na mesma floricultura encontrei um produto de origem caseira fabricado por eles mesmo, a dona disse conter óleo dimy e malation, não conheço nenhum desses componentes e fiquei preocupada pq ela enfatizou várias vezes "se a planta sobreviver..." será q isso é tóxico para as plantas também???

Não sei o q faço mas uma coisa é certa, irei aplicar alguma coisa nelas amanhã a tarde, o fungo está espalhando cada vez mais e tenho medo q pegue nas outras duas que estão sem flor e são as únicas que não apresentaram nada até agora.

Toda ajuda será bem vinda,
obrigada a todos!








terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Vandas

VANDAS

As vandas nos encantam
Com sua beleza e magia
Suas formas são tantas
E seu perfume, contagia.

As vandas aquecem o coração
Com seu encanto e beleza,
Símbolos de amor que a natureza
Nos envolve de emoção.

Nas vandas, não há tristeza!
Cada forma tem sua beleza,
Tem pureza e primor
No perfil de cada vanda.

Feliz quem sabe compreender,
Valorizar e entender
A grandeza de cada vanda
E o sentido de tanto amor.


Créditos:
http://paixaoeflores.blogspot.com.br/



Calda Bordalesa - combate a fungos e bactérias

Pessoal depois do problema que estou passando com minhas orquídeas e da ajuda de alguns amigos com artigos e publicações da internet encontrei essa Calda Bordalesa que é fácil de fazer e parece ser a solução para muitos fungos e bactérias, por isso achei legal colocar par vcs a receita, caso precisem.


A calda bordalesa é uma das formulações mais antigas e mais eficazes que se conhece, tendo sido descoberta quase por acaso, no final do século XIX, na França, por um agricultor que estava aplicando água com cal para evitar que cachos de uva de um parreiral próximo de uma estrada fossem roubados. Logo, percebeu-se que as plantas tratadas estavam livres da antracnose. Estudando o caso, um pesquisador chamado Millardet descobriu que o efeito estava associado ao fato do leite de cal ter sido preparado em tachos de cobre. A partir daí, desenvolveu pesquisas para chegar à formulação mais adequada da proporção entre a cal e o sulfato de cobre.
Como preparar a calda bordalesa:
A formulação a seguir é para o preparo de 10 litros; para fazer outras medidas, é só manter as proporções entre os ingredientes.
a) Dissolução do sulfato de cobre: No dia anterior ou quatro horas antes do preparo da calda, dissolver o sulfato de cobre. Colocar 100 g de sulfato de cobre dentro de um pano de algodão, amarrar e mergulhar em um vasilhame plástico com 1 litro de água morna; uma vez dissolvido, a água ficará com um tom azulado.
b) Água de cal: colocar 100 g de cal em um balde com capacidade para 10 litros. Em seguida, adicionar 9 litros de água, aos poucos. Quando comprar a cal virgem, deverá ser nova e de boa qualidade com alto teor de cálcio (90%). Ao colocar a água, quando a cal é nova e de boa qualidade, observa-se uma reação da mesma
c) Mistura dos dois ingredientes: Adicionar, aos poucos e mexendo sempre, o litro da solução de sulfato de cobre dentro do balde da água de cal.
d) Teste da faca: Para ver se a calda não ficou ácida, pode-se fazer um teste, mergulhando uma faca de aço comum bem limpa, por 3 minutos, na calda. Se a lâmina da faca sujar, isto é, adquirir uma coloração marrom ao ser retirada da calda, indica que esta está ácida, devendo-se adicionar mais cal na mistura; se não sujar, a calda está pronta para o uso.
Bibliografia: PAULUS, G., MÜLLER, A.M. BARCELLOS, L.A.R. Agroecologia aplicada: práticas e métodos para uma agricultura de base ecológica. Porto Alegre: EMATER-RS, 2001 – Publicação: Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, Porto Alegre, v.2, n 2,abr./jun.2001″
Sua aplicação em todas as plantas do orquidário deverá ser no entardecer, com as plantas secas, dia não chuvoso, evitando-se aplicá-la em dias muito frios e sujeitos a geadas. Devemos aguardar dois dias da aplicação para irrigarmos normalmente o orquidário conforme nosso costume. Convém lembrar que a calda bordalesa deverá ser usada no máximo três dias depois de pronta, pois perde sua eficáciaEssa calda não afeta o meio-ambiente.
Entre uma e outra aplicação, devemos aguardar um período de cerca de 15 dias, seguida ou precedida de uma pulverização com adubo. Ou seja, se tivermos aplicado hoje por exemplo, uma solução líquida de adubo no orquidário, deveremos respeitar um mínimo de 15 dias para procedermos a uma aplicação antifungos com a calda bordalesa e vice-versa.
Os componentes desta calda, além de serem fungicida e bactericida, em especial contra a antracnose (certas manchas pretas das folhas das orquídeas), acabam sendo nutrientes. Havendo uma e outra planta atacada, devemos separá-las das demais fazendo uma calda em menor quantidade e pincelar com escova dental de cerdas macias, somente as “doentes”. A aplicação da calda evita propagação do fungo, mas não corrige as manchas já existentes.
DICA: Não compre cal virgem velho nem com teor de cálcio inferior a 80%, encontrado em casas de material de construção e o sulfato de cobre, pó de cristais azuis deverá ter uma pureza mínima de 25% , encontrável em casas de produtos agropecuários.
LEMBRETE: A GRANDE CAUSA DA ANTRACNOSE EM NOSSOS ORQUIDÁRIOS É A MANIPULAÇÃO DAS PLANTAS COM INSTRUMENTOS DE CORTE OU PODA SEM A DEVIDA ESTERILIZAÇÃO BEM COMO O EXCESSO DE UMIDADE, SEJA PELA IRRIGAÇÃO EXAGERADA OU DIAS CHUVOSOS CONTÍNUOS, UMA DAS QUE MAIS SENTEM TAIS ADVERSIDADES SÃO AS PHALAENOPSIS. O ideal seria termos nossos orquidários com cobertura plástica removível própria para estufas, sobre a tela de sombreamento. Isso evitaria o excesso de água em épocas chuvosas. Minha sugestão é o uso dessa cobertura plástica somente na parte superior, já que as laterais deverão estar livres para a ventilação do orquidário. No meu ainda não coloquei e com isso eventualmente tenho problemas com fungos nas épocas chuvosas.
Créditos:
http://www.orquidariocuiaba.com.br

Preciso de ajuda

Meus amigos preciso muito da ajuda de vocês, está aparecendo umas pintinhas preta nas flores de minhas orquídeas, algo parecido com cochonilhas. Pelo pouco que sei e pelo que me informei, cochonilhas não aparecem nas flores, apenas nas folhas então não sei o que fazer!
Começou bem pouquinho em apenas uma flor de Oncidium, agora apareceu em duas Phaleanopsis ou Denphal, ainda não sei q espécie são, não consigo diferenciar essas duas.
Preciso muito de ajuda pq a cada dia que passa aparecem mais pintinhas, estou desesperada, não quero perder minhas flores e muito menos minhas orquídeas.
Acho que isso veio do mercado central pois comprei a Oncidium lá e tem muitas plantas de tudo que é tipo, estou muito chateada.
Me ajudem por favor, se souberem o que é e como trata, serei eternamente grata!
Abaixo tem as fotos para que possam ver melhor do que estou falando.

Esta só tem um pouquinho bem no meio da flor!




Tudo começou por esta daqui, começou em 1 flor, depois foi para outra e agora deve ter umas 4 flores ou mais com pelo menos 1 pinta preta.


E essa que é a mais novinha lá em casa também pegou, como ela é bem clarinha fica super evidente, to muito triste!!!

sábado, 12 de janeiro de 2013

Orquídea Phaleanopsis

Preciso confessar que essa é minha xodózinha! Ela é a mais diferente que eu tenho, adoro ficar olhando suas flores, e sua haste veio com 10 flores! Isso tudo me encanta demais!!!!